Parque Natural Municipal de Grumari

O PNM de Grumari abriga vários ecossistemas, como restinga nas áreas de baixada, Mata Atlântica nas encostas, áreas alagadiças e brejos, manguezal na foz do rio do Mundo e diversas praias com valor paisagístico e faunístico.

O PNM de Grumari protege uma das poucas áreas de mata nativa que resistiram à interferência antropogênica no município do Rio de Janeiro, além de abrigar espécies endêmicas e em risco de extinção. Em termos de vegetação de restinga, das espécies ameaçadas do Município do Rio de Janeiro (SMMA, 2000), 48 (17%) são encontradas na restinga de Grumari.

O PNM de Grumari abriga uma das maiores áreas de restinga no Estado e sua preservação é apontada como uma contribuição significativa para a preservação das espécies fluminenses ameaçadas de extinção. Dentre os répteis, observa-se a presença de duas formas endêmicas: a lagartixa-da-praia (Liolaemus lutzae) e a cobra-de-duas-cabeças (Amphisbaena sp).

Infraestrutura
A única estrutura oficial atualmente existente na área é uma edificação destinada a sediar a administração do Parque compartilhada com o Horto de espécies ameaçadas de restinga.

Vegetação
O PNM de Grumari está incluído na região da Floresta Ombrófila Densa ou floresta atlântica, representada pela sua formação submontana, com áreas de Formações Pioneiras marinhas (restingas) e várzeas ou brejos, e entremeada por áreas de Refúgios Vegetacionais (campos e vegetação rupestre) nos costões rochosos e nas porções mais íngremes do Parque.

A vegetação de restinga ocorre predominantemente na área denominada “Campo do Grumari”, onde se desenvolvem as associações herbáceo-arbustivas da restinga, geralmente reptantes e halófitas-salsas-de-praia, feijão-da-praia, entre outras. Mais interiorizadas estão estabelecidas espécies arbóreas, como Malvaceae , muirapinima-preta, macacaúba, entremeadas de cactáceas dos gêneros Cereus e Opuntia.
Das espécies de restinga que fazem parte da lista oficial do Ibama (Melo-Filho et al., 1992), três que possuem populações de tamanho razoável em Grumari (Pavonia alnifolia, Mollinedia glabra, Couepia schottii). Na área florestada ocorrem as nativas embaúbas (Cecropia spp – Moraceae), carrapeteira (Guarea guidonea – Meliaceae),etc. Desenvolvem-se no Parque espécies exóticas introduzidas e ruderais, como a fruta-pão, amendoeira, jaqueira, bico-de-papagaio, mangueira, e flamboyant, entre outras. Um pequeno manguezal é encontrado na foz do rio do Mundo, sendo o mangue-branco a espécie arbórea dominante.

Fauna
Na região do PNM de Grumari a fauna é rica, diversificada e de grande importância conservacionista, extensiva também à considerável interesse cientifico. Conta com registros de quase 270 espécies de aves (valor ampliável, em virtude de potencialidade biogeográfica, para quase 400), predominantemente silvícolas e com expressiva presença de espécies endêmicas da Mata Atlântica e/ou ameaçadas de extinção, dentre elas o destaque para o tucano-de-bico-preto (Ramphastos vitellinus)e o gavião-pomba (Leoucoptemis lacernulata).

A composição da mastofauna baseia-se em indivíduos de ampla distribuição, podendo-se destacar as espécies preguiça-de-três-dedos (Bradypus variegate) e o tamanduá-de-coleira (Tamandua tetradactyla). Caso especial alude aos mamíferos marinhos (tal como alguns quelônios), necessariamente componentes das regiões do entorno que incluem extensas zonas marinhas importantes nos processos de migração e alimentação. Salienta-se como importantes áreas de preservação, a restinga e as florestas de baixada, por abrigarem espécies confinadas à tais ambientes, como é o caso do anuro (Xenohyla truncata) e a lagartixa-da-areia (Liolaemus lutzae) endêmica e ameaçada de extinção. Destacam-se, ainda, os répteis, sendo que duas espécies são endêmicas do estado do Rio de Janeiro, uma delas sequer descrita pela ciência. Outros destaques da herpetofauna são, o jacaré-de-papo-amarelo (Caiman latirostris) e a jararaca (Bothrops jararaca). Entre os invertebrados destacam-se, o grande predomínio de artrópodes e a borboleta-da-praia (Parides ascanius) que foi o primeiro inseto a ser considerado em extinção no Brasil. Destacam-se, nesse sentido, muitas aves e mamíferos.

São registrados representantes marinhos, associados ao trecho de praia arenosa, aos costões rochosos e aos estuários de rios de pequeno porte existentes no local, e de água-doce, associados à riachos de pequeno porte e áreas alagáveis compreendidas pelo Maciço da Pedra Branca. Com relação às espécies de água-doce, estudos recentes registraram a ocorrência de espécies invasoras como o barrigudinho (Poecilia vivípara) e o peixe-espada (Xiphophorus helleri), as quais, em conjunto com intervenções antrópicas, como a extração desenfreada dos cursos de água e/ou o aterro de áreas alagadas e palustres da região, representam as principais ameaças à sobrevivência das espécies de peixes nativas.

Endereço e horário de funcionamento
O acesso para o PNM de Grumari é feito a partir do bairro do Recreio dos Bandeirantes, pela Avenida do Estado da Guanabara ou por Barra de Guaratiba, pela estrada de Grumari. De terça-feira a domingo, das 6h às 17h.

Pesquisa
Diversas pesquisas científicas vêm sendo realizadas no PNM de Grumari, conforme previsto pela Resolução SMAC nº 85, de 16 de março de 2001, que estabelece os procedimentos para autorização para realização de pesquisas científicas nas UC municipais. Existem projetos de pesquisa sendo desenvolvidos na unidade de conservação nas áreas de ciências biológicas, geológicas, geográficas e socioambiental.

A Secretaria de Meio Ambiente da Cidade do Rio de Janeiro é o órgão central executivo responsável pela gestão, planejamento, promoção, coordenação, controle e execução da política de meio ambiente no município do Rio de Janeiro.

  • ENDEREÇO DO ÓRGÃO:
    Centro Administrativo São Sebastião – CASS

    Rua Afonso Cavalcanti, 455 – Cidade Nova – Rio de Janeiro/RJ
    CEP: 20211-110

    HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO:
    9h às 18h

    ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO
    (e-mail exclusivo para a imprensa)

    comunicacao.smac@gmail.com

  • DÚVIDAS, SERVIÇOS, INFORMAÇÕES OU DENÚNCIAS:
    ligue 1746.

    PORTAL:
    www.1746.rio